Após enchente, estradas promovem desenvolvimento em Corumbá

O Correio de Corumbá apontou, no início do último mês de julho, o cenário de otimismo derivado da abertura das estradas após a enchente. Mesmo com muitas áreas ainda com inundação, o fato de as novas estradas conseguirem se manter um pouco acima do nível médio é uma grande ajuda para os pecuaristas e para a chegada de turistas, animando a região.

Bom para a pecuária

O sindicato rural de Corumbá destacou que os leilões de animais aconteceram sem problema, uma vez que as estradas retomaram sua trafegabilidade muito rapidamente. No dia 28 de julho, 5000 animais foram vendidos no leilão de Novo Horizonte.

Bom para os animais…

Os campos estão super férteis, após a passagem das águas, e toda a imensa fauna do Mato Grosso do Sul está se deliciando com todo o alimento disponível. As capivaras se colocam nas estradas ainda meio alagadas, com pequenos charcos, e é fácil encontrar o tuiuiú ou o porco do mato. Nas águas, o peixe abunda.

…e bom para o turismo

Para os fãs da observação de aves em particular, e os turistas da natureza em geral, a época está ótima. A Estrada Parque é a grande infraestrutura para observação de animais e os turistas estão chegando. O próprio jornal Folha de São Paulo já noticiava, no início desse ano, que a população de onça-pintada está recuperando e é novamente um dos atrativos dos safáris fotográficos da região.

A cheia pode ser um atrativo

O Correio do Corumbá referia também as boas condições para a pesca esportiva e mencionava as próprias dificuldades da cheia como uma forma de viver o Pantanal. Entre Corumbá e a Curva do Leque tinha ainda 30 km de estrada MS-228 submersa; sem balsas no rio, os pesqueiros usam lanchas para trazer os pescadores. Os empresários não temem levar suas camionetes em estrada alagada, mas precisam fazer 120 km extra para pegar combustível para suas lanchas. Isso é o verdadeiro Pantanal!

ADD YOUR COMMENT

Your email address will not be published. Required fields are marked *